E no ano que vem…

Image

Fim de ano chegando é hora de rever planejamento, avaliar conquistas, mensurar realizações e estabelecer novas metas. Definir claramente onde se quer chegar é o passo primordial para dar início a caminhada, e tão importante quanto é saber para onde não se quer ir, e qual é o ponto de partida.

Um bom treinamento diário de meditação há de afiar a intuição, para ajudar a definir a direção que só o coração pode apontar. Este é essencial no processo de realização, pois sem bháva¹, elemento básico da automotivação, falta estímulo para prosseguir, para superar os obstáculos naturais, aqueles incidentes inesperados que dão mais emoção a viajem.

Uma vez que se sabe pra onde não quer ir, sabe-se que tipo de bagagem levar e qual pode ser facilmente dispensada. O que foi útil um dia pode ser tornar obsoleto no outro. Isso tornará a viagem muito mais leve, e o aventureiro muito mais ágil para agir com precisão. E, consciente do ponto inicial, se sabe a distância que terá de percorrer, a direção que terá de seguir.

O planejamento deve ser consistente e maleável, mas não instável. Saber quando e quanto ele pode ser adaptado depende de experiência empírica e convicção do que se quer. Não é o receio de não ser capaz que pode redefinir direções, valores e medidas. Uma coisa é desistir de alvos ambiciosos por alvos mais fáceis e seguros, outro é escolher alvos melhores.

A revisão do planejamento deve ter constância. Mensal? Semanal? Sim, claro! Dependendo do aprofundamento da revisão. Mas a melhor é a revisão diária.

Diariamente deve-se avivar a consciência da direção que foi escolhida, dos valores pessoais que foram definidos, que ajudarão na tomada de decisões. Cada dia é uma aventura que precisa ser planejada, prevista. Diariamente, deve-se reforçar o molde arquetípico que foi criado, para desenhar com nitidez o futuro. Isso vai habilitar a mente a perceber com maior rapidez as oportunidades, irá automatizar as reações mais precisas. Nada como o exercício diário, consciente, intencional.

Estudos – precisamos mesmo deles? – revelam que pessoas de sucesso acordam mais cedo para se exercitar e prever ou mentalizar o dia antes mesmo que ele aconteça, planejando ações e pré-definindo acontecimentos,visualizando a concretização, como um bom esportista o faz.

Outros, estudos, revelam que pessoas de sucesso mantém por escrito suas metas para releitura constante.

Planejar é por si só uma forma de mentalizar. Revisar reforça o molde que foi criado, energiza as intenções, o desejo, a convicção, e nisso está e essência da automotivação, aquela que vem de dentro e de nada depende do cenário externo, que por vezes aparenta-se desastroso.
 
Há algo de substancial e motivador em reviver o sentimento de satisfação, proporcionado pela certeza de estar seguindo na direção escolhida, que a cada dia estamos mais próximos da conquista, que cada ação, decisão, mentalização nos prepara, nos afia. A certeza da realização se fortalece e o sucesso ganha forma.
 

E que venha mais um ano, pois há muito a realizar.

 
Alan Hecktor,
Trabalhando para do desenvolvimento do potencial humano.
  1. Bháva: profundo sentimento, ou revência.
          É o carinho com que se faz algo, com intenção, com vontade, com tesão
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: