Reeducação respiratória – parte 4 – respiração completa

Se treinou bem as fases anterioras então não haverá segredo em executar essa, pois basta juntar as três numa única respiração… simples!Mas é preciso que tenha registrado com nitidez a diferença entre as três, para poder certificar-se que realmente conseguirá fazer a respiração completa.Nascemos sabendo respirar, observe como o tórax de um bebê se movimenta quando respira. Mas geniais como só nós mesmos seres pensantes, ignoramos os instintos e desaprendemos com o passar do tempo.

Prática

  1. Feche os olhos para facilitar a concentração e a observação dos movimentos internos;
  2. Coloque as mãos sobre as costelas, como indicado no treinamento da respiração intercostal;
  3. Lembre-se que a respiração deve ser nasal, lenta, consciente e prazerosa;
  4. Expulse todo o ar dos seus pulmões, contraíndo a musculatura peitoral, intercostal e abdominal;
  5. E então comece inspirando dilatado de baixo para cima, ou seja, empurrando o abdômen para fora, continue inspirando, ampliando o espaço entre as costelas, continue inspirando dilatando a região peitoral;
  6. Expire, esvaziando os pulmões de cima para baixo, contraíndo a musculatura peitoral, em seguida intercostal por fim a abdomal, puxando-a bem para dentro;
  7. Uma onda que sobe durante a inspiração, e outra que desce durante a expiração;
  8. Repita isso durante 5min ou mais;
  9. Mantenha-se consciente dos movimentos dos orgãos e músculos responsáveis pela respiração, e da entrada e saída de ar;
  10. Explore os extremos, dilatando bem a região abdominal antes de passar a intercostal, e assim por diante;
  11. Com a mesma intensão, faça a expiração sempre de cima para baixo;
  12. Enriqueça a experiência, visualizando uma luminosidade dourada sendo absorvida a cada inspiração, interpenetrando todo o corpo a cada expiração; durante e inspiração a vitalidade, energia e forma de luz dourada se concentra em seus pulmões durante a inspiração; na expiração essa energia transborda dos seus pulmões e se espalham pelo corpo;
  13. Se for conveniente, suporte o treino com músicas (sugestões) que induzam ao aquietamento consciente.

Será normal sentir vertigem já que passando de 350ml de ar, passar a inspirar 5l vai gerar um impacto bastante positivo, mas para alguns leva tempo se acostumar.

As trocas gasosas não só vão lhe conferir energia, mas ajudará a purificar o sangue, gerando mais vitalidade e vigor.

Treinamentos complementares

Estes exercícios extras auxiliam a evitar erros comuns, como encher o peito puxando a barriga para dentro, ao invés de sugar mais ar. Ou, de ignorar a região intercostal, enxendo apenas a parte baixa e alta dos pulmões.

Treinamento extra 1

1. Faça várias respirações bem profundas e lentas, lembre-se: sempre nasais;

2. No primeiro ciclo respiratório, utilize apenas a respiração abdominal;

3. No segundo, apenas a região intercostal, dispensando o uso da pressão das mãos se já puder sentir seu movimento internamente;

4. No terceiro, apenas a região peitoral;

5. Repita a sequência, alternando a respiração a cada ciclo respiratório

Treinamento extra 2

1. Repita a mesma operação, desta vez, começando a dilatar pela parte média até o peito;

2. Esvaziando de cima para baixo, contraia a musculatura peitoral, finalizando com a intercostal;

3. O abdômen permanece imóvel já que não vamos utilizar esta parte dos pulmões.

4. Treine observando cada movimento, registre cuidadosamente como é cada fase respiratória;

Treinamento extra 3

1. Inspire dilatando a parte baixa em seguida a parte alta, sem preencher a parte média. Sim, isto é possível e constituí um erro comum entre os novatos, por isso, vamos vivenciar o erro antes de cometê-lo inconscientemente;

2. Para expirar, já sabe: de cima para baixo, contraindo a musculatura.

Treinamento extra 4

1. Inspire, dilatando de cima para baixo, como uma onda, preenchendo a parte baixa, média e alta;

3. Dedique uma atenção especial a cada uma das fases, chegando ao ponto máximo, antes de passar para a próxima;

4. Expire, esvaziando de cima para baixo, lentamente, vivenciando cada fase.

É a mesma que aprendemos no começo, só a repetimos para finalizar com o registro da forma correta.

Pode ser em pé, trabalhando, pensando na respiração, mas pelo menos uma vez ao dia faça sentado, totalmente concentrado na respiração.

Parece muita coisa no começo, tem gente que ferve a cabeça de tanta coisa para prestar a atenção, mas seja paciente consigo mesmo, quanto mais descontraído for o treino, mais rápido sua consciência registra e seu corpo reaprende.

Se ficar na dúvida, volte pacientemente ao primeiro exercício, o de respiração abdominal, treine-o por uma semana, e faça o mesmo com os outros.

Compartilhe, divulgue, conecte-se.

Dúvidas e sugestão, poste nos comentários.

Alan Hecktor

SwáSthya Personal Trainer | Lifestyle Coach

Posts relacionados Reeducação Respiratória

parte 1 – respiração abdominal

parte 2 – respiração intercostal

parte 3 – respiração peitoral

Resumo

 

Anúncios

  1. Pingback: Reeducação Respiratória – Resumo « Alan Hecktor.com

  2. Pingback: Reeducação Respiratória – parte 3 – respiração peitoral « Alan Hecktor.com

  3. Pingback: Reeducação Respiratória – parte 2 – respiração intercostal « Alan Hecktor.com

  4. Alan Hecktor - SwáSthya Personal Trainer and Lifestyle Coach

    Reblogged this on SwáSthya, Diário de Práticas.

    Curtir

  5. Pingback: Reeducação Respiratória – parte 2 – respiração intercostal « SwáSthya, Diário de Práticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: