Intuição, criatividade e foco

Nos posts referentes a este tema abordaremos principalmente técnicas simples e aplicáveis no cotidiano, afim de afiar estes mecanismos dos quais todos são dotados. Procure compreender melhor do que se trata a intuição e como ela eleva o nível de criatividade, checando os posts conceituais.

Para treinar há dois caminhos bem práticos para aguçar a sua capacidade intuitiva e estimular a sua criatividade. Os dois convergem entre si para dar apoio e sustentação um ao outro. Um depende de treinamento reservado em local apropriado. O outro é aplicado livremente no cotidiano. Ambos podem ser praticados independentemente, mas juntos vão produzir um resultado verdadeiramente animador.

A intenção é desenvolver sua habilidade de foco; de ampliar os receptores de informações, desde as mais densas as mais sutis; de ouvir a voz da  intuição, ou voz interior, como preferir; de perceber informações que sempre estiveram lá a sua espera, “na sua cara”, mas você tinha a percepção debilitada. Fará ainda com que passe a realizar qualquer atividade com a mais extrema concentração, elevando a qualidade da ação e dos resultados, tornando-a até mesmo prazerosa.

A primeira forma é ensinada nas boas escolas de Yôga(1). Depende de alguns fatores ambientais para a prática de técnicas de treinamento de concentração e meditação, entre outras tantas que dependem de uma boa dose de direcionamento de atenção para serem bem executadas.

A segunda consiste em aplicar o conceito da concentração e meditação nas tarefas do dia-a-dia. A ideia é simples, faça com o máximo de atenção seja lá o que for que estiver fazendo, evitando o excesso de solicitações. De nada adianta você fazer um esforço consciente para treinar sua concentração, e no cotidiano continuar a exercitar inconscientemente a dispersão. Procure fazer uma coisa de cada vez.

“Como, tenho milhões de itens urgentes para resolver num curto prazo de tempo?” (se ainda não há, haverá um post sobre isso, procure por: Uma coisa de cada vez)

A mente é como um cão. Ou você o leva para passear ou ele o leva. No primeiro caso, você escolhe e desfruta do caminho, no segundo é puxado sem a menor cerimônia para qualquer lugar, tornando o passeio um martírio, tão maior quanto o tamanho do cão. Trata-se de escolher de quem conduz a sua vida, você ou a sua mente? A mente é só uma ferramenta, uma parte de todo o maquinário a sua disposição.

A medida que for se aprimorando, aumentará sua capacidade de concentrar e manter o foco. Perceberá que o seu rendimento no trabalho passa a ser maior, o fluxo de ideias inovadoras, soluções práticas e inteligentes vão surgir em maior número. Isso é realmente instigante.Sua capacidade de observação aumenta, e detalhes serão mais facilmente registrados, pois as nuances das informações que ficavam obliteradas pelo excesso de dispersão, passarão a ser captados. Vamos simplificar: Fazer mais e melhor em menos tempo. Esse é o objetivo desse blog.

Veja este exemplo, talvez você já tenha passado por isso:

No momento que você reserva para responder seus e-mails profissionais, aproveita que está de frente para o computador e abre a janela de uma ou mais das suas redes sociais, um site de notícia, mais o comunicador virtual e por que não um vídeo para animar (imagem e música).  Você tem ao mesmo momento uma série de solicitações de diferentes escopos, simultaneamente, e o profissional é emocionalmente o menos importante. Consegue listar a quantidadede expectativas que proporcionou a sua mente e ao seu emocional?

Se já esteve nessa situação, há de lembrar que uma tarefa que poderia ter sido realizada em 30 min, com eficácia, profissionalismo e aproveitamento, foi feita em 1h, 2h ou mais, de qualquer jeito e sem atenção. Qual é o resultado que você espera de ações feitas dessa forma? Qual é o nível de registro de informações necessárias que você assimilou? O quanto você aproveitou para compreender e aperfeiçoar sua comunicação com o contato? Quer reconhecimento por tarefas desempenhadas assim? Por que acha que vive esquecendo das pequenas mais importantes coisas?

Não é assim? E por que as empresas limitam o acesso a internet? Só de picuinha?

Vamos somar a isso a ansiedade, frustração e no final o estresse por não ter tido a quantidade que desejava de “curtir” em seus posts; a mensagem daquela pessoa não veio; ninguém te chamou para conversar no msn, etc. E, não deu tempo de fazer tudo, “pô”!

Se tivesse se dedicado exclusivamente aos e-mails, poderia ter reforçado os laços com os clientes, colegas de trabalho, etc. Poderia ter demonstrado de forma sutil na maneira de se expressar como você é profissional e depreendido muito mais das informação que estão nas entrelinhas, estas muitas vezes não são percebidas pelo racional, mas pelo intuicional, que depende de muita prática de observação.

DICAS

Por mais desinteressante que seja a atividade, cultive um sentimento diferente. Mesmo que no início pareça forçado e antinatural, permita-se diversificar suas percepções sobre o mesmo assunto. Pois o menos importante muitas vezes será a atividade em si, mas o que você depreende dela.

Concentre-se no aqui e agora, uma vez que tenha decidido a qual item da sua lista de tarefas vai se dedicar, esqueça as outras obrigações, esqueça do prazo, usufrua e aproveite deste momento de total desprendimento de outras responsabilidades. Não estou recomendando um ato irresponsável de ignorância do deadline da agenda do seu dia. Mas se pode programar um dispositivo qualquer para avisar o término do prazo, para que onerar sua mente com esta responsabilidade? Poupe-a.

Boa parte das informação extras que são assimiladas não são captadas conscientemente, por isso observar com o mínimo de analise e julgamento vai ajudar em muito no aprendizado.

Reserve um horário específico para curtir suas redes sociais e afins, com tempo limitado, pois se parar para avaliar, quase nada de realmente útil se extrai delas se não for objetivo.

Alan Hecktor

SwáSthya Personal Trainer | Lifestyle Coach

Acompanhe e comente esse blog. Conceitos e técnicas para compreensão e treinamento continuarão a ser publicados. Compartilhe.

Se encontrar erros de concordância, ortografia e afins deixe um aviso nos comentários.

(1) Tenho como referência as escolas de Método DeRose, mesmo não sendo escolas de Yôga, tem em sua grade uma das mais respeitadas modalidades, SwáSthya Yôga.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: